Breve Historial

Fundação da Santa Casa da Misericórdia de Sines

Bandeira da Misericórdia de Sines “Naõ ha noticia do principio, ou origem desta Sancta Caza da Mizericordia, e só consta que ja no anno de 1516 existia, por alguns papeis que do tal anno nella se achaõ, e saõ os mais antigos que se descobriraõ.”

Assim escrevia o Padre Freire Alexandre Bernardo Mimozo, em 29 de Maio de 1758, na Memória Paroquial de Sines, baseando-se na leitura de documentos guardados no arquivo da Misericórdia, que lamentavelmente não chegaram aos nossos dias, tendo desaparecido uma fonte primordial não só da história de uma das mais marcantes instituições da Cidade, como da própria Cidade. No entanto é possível reconstituir os passos mais importantes da longa história desta Santa Casa, pois apesar da ausência de dados directos, muitas são as informações contidas nos mais diversos documentos atestando a presença constante desta Irmandade nos mais diversos sectores da vida do Concelho.

Trata-se de uma das mais antigas Misericórdias do país, visto que o primeiro compromisso - o de Lisboa - data de 1498, ou seja, de apenas 18 anos antes do primeiro documento referido em Sines, mas, é claro, que destes dados se conclui que a fundação é anterior a esta data de 1516, inserindo-se no grande movimento inicial que varreu o país no seguimento do gesto fundador da rainha D. Leonor.

Vasco da Gama Em 1498, quando é fundada a primeira Misericórdia, estamos num ano fundamental da nossa história, ano de viragem simbólico para a Modernidade, com a reforma do Estado e das instituições, de novas visões do Mundo na sua geografia e de novas visões da própria dimensão do Homem. É um ano marcado pela chegada de Vasco da Gama à Índia, navegador que no regresso a Portugal se instala em Sines, em cuja vila será uma personagem muito activa, podendo supor-se facilmente que terá sido um dos impulsionadores da fundação desta Misericórdia, da mesma forma como foi o fundador da Ermida de S. Giraldo ou o reconstrutor da Ermida de Nossa Senhora das Salas.

A Irmandade ter-se-á inicialmente instalado na Capela do Espírito Santo, anexa ao hospital do mesmo nome, visto que a mesma surge com a designação de “Misericórdia Velha” na mais antiga planta conhecida da vila, de inícios do séc. XVII, existente no arquivo da Torre do Tombo, livro 29, da Casa de Cadaval. A Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Sines, também mais abreviadamente denominada Santa Casa da Misericórdia, ou simplesmente Santa Casa, é uma Associação de Fiéis, constituída na Ordem Jurídica Canónica com o objectivo de satisfazer carências sociais e praticar actos de culto católico, de harmonia com o espírito tradicional das Misericórdias informada pelos princípios da doutrina e moral cristãs.

Na impossibilidade documental de se encontrar um dia preciso para a data de fundação, a Mesa Administrativa estipulou como dia da Santa Casa da Misericórdia de Sines o dia 22 de Fevereiro, feriado para a Instituição.

Tem esta Instituição Particular de Solidariedade Social desenvolvido a prática das obras de misericórdia, tanto corporais como espirituais, instituídas no compromisso da sua Irmandade, que são:


As sete espirituais:

“ A primeira é ensinar os simples
  A segunda é dar bom conselho a quem o pede
  A terceira é castigar com caridade os que erram
  A quarta é consolar os tristes desconsolados
  A quinta é perdoar a quem errou
  A sexta é sofrer as injúrias com paciência
  A sétima é rogar a Deus pelos vivos e pelos mortos ”

As sete corporais:

“ A primeira é remir os cativos e visitar os presos
  A segunda é curar os enfermos
  A terceira é cobrir os nus
  A quarta é dar de beber a quem tem sede
  A quinta é dar de comer a quem tem fome
  A sexta é dar pousada aos pobres e peregrinos
  A sétima é enterrar os mortos ”


Topo ^

*/